Movimentos sociais estão acampados em frente ao Edise contra o leilão de Libra

Manifestação contra os leilões

Ativistas de movimentos sociais e sindicais organizam desde as 11 horas de hoje (24) um acampamento em frente à sede da Petrobras, na Avenida Chile, no Rio, em repúdio ao leilão do campo de Libra, o primeiro do pré-sal. Os manifestantes pretendem permanecer acampados até que a presidenta Dilma reverta o leilão que compromete o presente e futuro do povo brasileiro.

O acampamento é formado por representantes das organizações que integram a campanha o Petróleo Tem que Ser Nosso, entre as quais o Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ), MST, Frente Internacionalista dos Sem Teto (FIST), Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), entidades estudantis, Movimento Ocupa Cabral e dezenas de outras.

No dia 3 de outubro, quando a Petrobras completará 60 anos, haverá um ato-show na Praça XV, contra a entrega das riquezas do subsolo brasileiro e o desmonte progressivo da empresa-símbolo do desenvolvimento nacional e da capacidade de luta e de resistência dos brasileiros. Dentre os que já manifestaram seu apoio a essa campanha estão os sambistas Beth Carvalho e Noca da Portela, Marcelo Yuka e o ator Paulo Betti.

Para mais informações, entrar em contato com o diretor do Sindipetro-RJ, Emanuel Cancella (99516616), ou com a assessoria de imprensa: Fatima Lacerda ( 98634167) e Rafael Duarte (78662630).

Fonte: Agência Petroleira de Notícias

Um comentário

  1. José disse:

    Companheiros, essa greve está muito forte parabéns, mas vale lembrar que essa greve afeta apenas a petrobrás, não afeta o governo,pois segunda-feira vai chegar e o leilão vai acontecer. O governo só vai sentir se as entidades do país juntamente com o categoria forem ás ruas mostrar sua indignação, por isso conclamo os sindicatos do país a unirem esforços e através das redes sociais, rádios, jornais, a chamarem o povo para ir ás ruas protestar no domingo e na segunda-feira. Não vamos cair nessa armadilha de que apenas parando a empresa conseguiremos afastar esse leilão. Ás ruas Já. Unamo-nos todos e vamos juntos protestar.

    Responder

Deixe um comentário