FNP reafirma posição contrária a regramento e discute rejeição da PLR 2012

Reunidos no sétimo andar do Edifício-Sede (Edise) da Petrobrás, no Rio de Janeiro, os dirigentes da FNP discutiram com o RH Corporativo PLR Futura e a rejeição da proposta de PLR em três bases da federação (Alagoas/Sergipe, São José dos Campos e Pará, Amazonas, Maranhão e Amapá).

Os dirigentes das bases que rejeitaram a proposta reafirmaram o indicativo contrário à proposta, cobrando uma nova propositura, lembrando que diante do quadro nacional irão realizar novas assembleias. Além disso, alertaram a empresa para o papel lamentável que o RH assumiu durante essa campanha. Em total desrespeito à autonomia dos sindicatos, a empresa não quis realizar novas negociações com os sindicatos que rejeitaram a proposta.

Com o argumento de que a maioria já havia aceitado o valor oferecido, a empresa quis decretar o fim das discussões, desrespeitando a decisão de uma parcela importante da categoria. Sobre o valor oferecido e assinado nas demais bases, a empresa reafirmou que não haverá nova proposta aos sindicatos onde houve rejeição.

“Não importa quantos aceitem a proposta ou não, quem negocia são os sindicatos. Temos o direito de sermos contra um valor rebaixado, mesmo que essa posição na reflita a decisão das demais bases ou da maioria”, lembrou Agnelson Silva, do Sindipetro PA/AM/MA/AP.

Para Clarckson Araújo, houve uma desnecessária guerra de informações conduzida pela empresa para desgastar a imagem daqueles que rejeitaram a proposta. “O RH enviou diversas vezes boletins com a intenção de pressionar os trabalhadores a assinarem o acordo, tentando estimular um conflito muito ruim entre os petroleiros e sindicatos. Isso gerou grande desconforto. Essa prática é um desrespeito ao movimento sindical, porque a rejeição se deu em um período que ainda havia ampla discussão sobre a proposta”.

COMISSÕES DE ACT
Durante a reunião, foi ainda reformulado o calendário de reuniões para dar andamento às comissões de ACT. No próximo dia 18, haverá na parte da manhã a discussão sobre AMS; na parte da tarde, estará em pauta Regime de Trabalho e Acompanhamento de ACT. No dia 19, será a vez de discutir Terceirização.

PLR Futura
Embora não se recuse a comparecer às reuniões chamadas pela empresa para discussão de PLR Futura, a FNP reafirmou sua posição sobre o regramento proposto pela companhia em parceria com a outra federação: não negociaremos e nem discutiremos qualquer tipo de metas cujo objetivo seja transferir aos trabalhadores a responsabilidade por prejuízos causados pela direção da companhia. E, infelizmente, é isso o que está colocado.

Nesta reunião, a empresa realizou uma nova apresentação sobre PLR Futura sem novidades, tratando-se apenas da confirmação de uma proposta para o Sistema Petrobrás que tem como eixo criar mais uma camisa de força para os trabalhadores. A Assembleia dos Acionistas, o DEST e os tais 4,5% já vêm sendo usados para limitar o valor de PLR. O regramento aprofunda esse processo, colocando como plenamente possível a fixação de valores de PLR irrisórios no caso de indicadores extremamente negativos. E o pior, sustentados por erros gerenciais e não dos trabalhadores.

“Não vamos assumir a responsabilidade por números e metas que não temos nenhum controle. Nossa defesa é por uma PLR Máxima e Igual para Todos, de acordo com os 25% dos dividendos distribuídos aos acionistas. É o que a resolução do DEST nos garante. Por isso, não iremos negociar perdas e rebaixamento de direitos. Não vamos entrar no jogo da empresa, não seremos coniventes com esse ataque”, afirmou Emanuel Cancella, secretário-geral da FNP e dirigente do Sindipetro-RJ.

“Não somos contra por sermos contra, como alguns pensam, mas sim porque esses parâmetros fogem do controle dos trabalhadores e representam um grande risco para a categoria. Se houver 300 reuniões sobre o tema, não nos furtaremos de vir discutir. Mas em todas elas reafirmaremos nossa posição contrária a este projeto”, completa Cancella.

Mais um ‘Pacote da maldade’
Outra crítica dos dirigentes recaiu sobre a imposição de uma cláusula sobre PLR Futura no acordo que trata da quitação de PLR Futura. Ou seja, mesmo se tratando de uma negociação sobre os resultados de 2012, a companhia inseriu no “pacote de maldades” o estudo de PLR Futura, mesmo a categoria nas bases da FNP sendo contra a qualquer regramento.

Esta manobra não é nova. Em outras oportunidades, a Petrobrás já se utilizou de negociações sobre remuneração para inserir cláusulas prejudiciais. O plano da empresa é fechar o estudo sobre regramento até 10 de maio. Segundo ela, A ideia é elaborar este estudo a quatro mãos – empresa e sindicatos.

A FNP repudiou essa lógica conciliatória, cujo objetivo é passar a ideia de que juntos iremos chegar a uma proposta satisfatória. Na prática, ela quer que os sindicatos e a FNP avalizem uma medida que na prática significa perdas aos trabalhadores.

A empresa apresentará a sua proposta final, certamente baseada em uma lógica prejudicial aos trabalhadores. A FNP terá como tarefa contrapor essa proposta, reafirmando a bandeira histórica por PLR Máxima e Igual para Todos. Até lá, os trabalhadores têm uma importante tarefa: rejeitar mais um ataque ao conjunto da categoria. E isso se faz de uma única forma: com luta direta, com mobilização.

16 Comentários

  1. Ramos says:

    Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo. Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva, E se faço chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva.

    Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel, Num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu. Vai voando, contornando a imensa curva Norte e Sul, Vou com ela, viajando, Havai, Pequim ou Istambul. Pinto um barco a vela branco, navegando, é tanto céu e mar num beijo azul.

    VAMOS PARAR DE FANTASIAR, VAMOS PARAR DE FAZER DE CONTA QUE CONSEGUIRAM REALIZAR ALGO A MAIS NESTA VOSSA POLITICA . TÁ NA HORA DE ENCARAR A REALIDADE. VOCES ESTÃO QUASE SEMPRE UM PASSO ATRAS NOS MOVIMENTOS E NEGOCIAÇÕES… OU AINDA NÃO SE DERAM CONTA?

    Responder
  2. Dom Quixote says:

    Companheiro Ramos, me permitar complementar;
    “Eu vivo sempre no mundo da lua.
    Porque sou um cientista
    O meu papo é futurista
    É lunatico
    Eu vivo sempre no mundo da lua
    Tenho uma alma de artista
    Sou um gênio sonhador
    E romantico
    Eu vivo sempre no mundo da lua
    Porque sou aventureiro
    Desde o meu primeiro passo
    Pro infinito
    Eu vivo sempre no mundo da lua
    Porque sou inteligente (burro)
    Se voce quer vir com a gente
    Venha que será um barato
    Pega carona nessa calda de cometa
    Ver a Via-Lactea, estrada tão bonita
    Brincar de esconde-esconde numa nebulosa
    Voltar para casa nosso lindo Balão azul”
    Volto a dizer, estes da FNP são os heróis da resistência, acabou a negociação companheiros, coloquem em votação novamente e pronto.

    Responder
  3. Imprensa FNP says:

    Companheiros, a decisão das bases que rejeitaram a proposta deve ser respeitada. Foi isso que a FNP cobrou na mesa de negociação. Se há chances de avançar ou não, caberá a esses trabalhadores, nas assembleias já agendadas, decidir sobre a assinatura ou não do acordo.

    Além disso, nessas bases o pagamento em parcela única foi aprovado. Por isso, não há pressa desses trabalhadores na assinatura ou não do acordo.

    Essas bases rejeitaram a proposta e a empresa, diante disso, não pode se negar a negociar com esses sindicatos sob o argumento de que os outros assinaram.

    Responder
    • Ramos says:

      Decisão das bases nada… Sabemos muito bem como funciona este tipo de manipulação oculta… Voces já desde o começo decidiram como esta campanha deveria ser… haja vista os anos anteriores, o panorama é sempre o mesmo, ou seja do contra tudo e todos. Agrora relegam que a culpa é das bases. Deixei de acreditar em fábula há muito tempo companheiro, fada do dente não existe. Vamos encarar a dura realidade, revejam esta forma de condução sindical que voces insistem em praticar, porque a credibilidade da FNP mais cedo do que possam imaginar pode acabar.

      Responder
      • Imprensa FNP says:

        Companheiro, esse tipo de acusação é grave. Pedimos, entao, que entre em contato com os trabalhadores dessas bases e pergunte se eles decidiram ou não pela rejeição. Da forma como tem colocado sua opinião, passa a impressão de que a proposta de PLR da empresa é satisfatória e vitoriosa. Nós achamos o contrário. E nossas bases também. Mesmo aquelas que aprovaram a proposta, só aprovaram por conta do quadro nacional desfavorável.

        Sobre a acusação de manipulação oculta, não vemos sentido nisso. Companheiro, você tem o direito de discordar da posição da FNP, mas para isso não é necessário calúnias. A outra federação chama uma greve e depois indica aceitação por causa de 700 reais a mais. A outra federação começa a suas assembleias nas bases que, infelizmente, por tradição, aceitam propostas rebaixadas. A outra federação teve uma clara divisão, com 3 sindicatos se posicionando contra o indicativo de aceitação. A outra federação sequer permite este espaço que você tem aqui de livre debate… E mesmo assim, a FNP que manipula ocultamente os trabalhadores? Sugerimos que reveja seus conceitos e respeite a decisão dos companheiros das outras bases.

        Só uma nota histórica: na época do PCAC, o Sindipetro-LP, o único sindicato a não aceitar a proposta, foi acusado de ir contra tudo e todos. O argumento usado na época era muito parecido com o seu. Hoje, o Sindipetro-LP é reconhecido pelo acerto de sua decisão, com diversas ações vitoriosas na Justiçá porque lá foi rejeitado o acordo. Enfim, o fato da correlação de forças não estar favorável, não nos permite indicar a aceitação de retirada de direitos e de propostas rebaixadas.

        Responder
        • Ramos says:

          Significado de manipulação:
          Intervir no desenvolvimento de determinado sistema ou processo, com vista à alteração da sua evolução natural, Condicionar, influenciar, manipular ideias, manobrar. É exatamente o que a FNP tem feito com a massa de trabalhadores para aceitar suas ideias no seio petroleiro. Só cego não vê, haja vista o historico de anos anteriores. No entanto o bom senso na condução em negociações sempre foi e é a boa medida para resultados satisfatórios. Qualquer bom negociador sabe disso, por que sempre que a radicalização é usada resta-nos só decepções no final. É como diz o velho ditado, melhor um pássaro na mão do que dois voando.

          Responder
          • Imprensa FNP says:

            Sabemos muito bem qual significado de manipulação que você deu a entender, ainda mais com a inserção da palavra oculta. Concordamos com todas as suas palavras, trocando FNP por FUP. Essa, sim, pra agradar o Governo Federal, e não por uma suposta capacidade de negociação, tem manipulado os trabalhadores. Somos radicais, sim, mas na defesa dos direitos dos trabalhadores. E o papel de qualquer entidade de trabalhadores, sendo direção de uma categoria, é sim o de convencimento de suas posições. Mas as assembleias são soberanas.

  4. Dom Quixote says:

    Então tá FNP, se o LP viu que o quadro é desfavorável e aceitou (sendo FNP também), por que não coloca em votação novamente, pois afinal de contas a empresa disse não ter outra proposta, sendo assim sigam os trâmites normais, coloquem em votação, assim ficaria melhor. Eu estou muito desapontado com a FNP 🙁

    Responder
    • Imprensa FNP says:

      É o que será feito, companheiro. Nessas 3 bases, as assembleias serão inciadas na próxima segunda-feira.

      Responder
  5. fantine says:

    Nao sei pque essa nao aceitação de proposta se no final vai da a mesma quantia,realmente seria bom se fosse feito utras assembleias,estou querendo saber qual a data realmente que vai ser paga a plr p os sindicatos que aceitaram a proposta de uma só parcela

    Responder
  6. Ramos says:

    Valei-me meu São Clemêncio, livrai-me das (boas intenções) dos dirigentes sindicalistas (fup e fnp) e dos politicos inescrupolosos que infestam como ratos este pais chamado Brasil. Amém.

    Responder
  7. Rogério says:

    É interessante o fato de nenhum trabalhador fazer comentários favoráveis aos sindicatos nesse espaço. Atenção FNP! Não nos sentimos representados por suas decisões!

    Responder
  8. Rafael says:

    Alguma novidade?

    Responder
  9. Zé Ruela says:

    A FNP está perdida em sua ideologia, não consegue transmitir aos trabalhadores seus reais valores, prefere ficar em um embate com a FUP nos renegando a um segundo plano, se tivesse uma via alternativa de representação sindical, queria ver a FUP e FNP serem definitivamente excluída deste contexto.

    Responder
  10. NYC says:

    EU FICO BASTANTE INDIGNADA COM ESSE SINDICATO QUE SÓ PENSA NELE, VEJA O SITE DELES A DEMORA PARA ATUALIZAR NEM FALA QUANDO A GENTE VAI RECEBER A PLR ELES SÓ COLOCAM O QUE CONVEM A ELES E UMA FALTA DE RESPEITO MESMO…..

    Responder
  11. Marcellus says:

    Aqui em Sergipe é a mesma coisa. Falaram da realização das assembléias, mas aqui na Fafen não passaram. Vão assinar porque não tem outra saída. E o site a mesma coisa só desinformação. Só há agilidade quando é do interesse do sindicato (FNP). Enquanto tivermos sendo representados por federações com interesses completamente diferentes só vai acontecer isto, seremos manipulados por ambas, o que torna o trabalho de negociação da Petrobras muito mais fácil. E convenhamos os negociadores da Petrobras estão muito mais capacitados do que os dos sindicatos.

    Responder

Deixe um comentário