AMS em risco

Na tentativa de acelerar o processo de venda da Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS), o plano de saúde dos trabalhadores petroleiros, a companhia veiculou um vídeo repleto de mentiras. Na publicação, o presidente Castello Branco tenta enganar a categoria. Usa informações falsas, tira o contexto de fatos para dizer que as mudanças na AMS vão beneficiar os empregados ativos, aposentados e pensionistas.

Diante disso, o coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), Adaedson Costa, analisou o discurso de Castello Branco. O resultado publicamos abaixo. São seis pontos para desmascarar as inverdades de direção da companhia.

1 “Petroleiros serão beneficiados”. No vídeo, Castello Branco afirma que não haverá alteração de benefícios, que os empregados serão, na verdade, favorecidos.

É mentira. Sabemos que haverá beneficiados, sim, só que não será a categoria dos petroleiros.

2 “Um plano de saúde que custa muito caro”.
Falácia. Há três anos, foi apresentado às federações um estudo sobre a viabilidade econômica da AMS. Nesse estudo, a AMS estava no patamar tanto de planos privados quanto no de outras empresas.

3 “Caso dos dentistas que recebiam da Petrobras mais de R$ 2 milhões por ano”
Isso de fato ocorreu. Porém, feita auditoria e verificação por parte do compliance que existe na Petrobras, não foi verificada nenhuma irregularidade. Única coisa que foi feita: melhorou-se o procedimento de pagamento dos credenciados. Alguém está usando esse dado para criar terrorismo ou justificar o injustificável.

4 “Notórios corruptos”. O presidente diz que 18 notórios corruptos condenados pela Lava Jato usufruíam do plano de saúde.
Uma pergunta que deve ser feita: Quem são esses corruptos? São do setor operacional ou administrativo sem função gratifi cada ou são os gestores? Por que essa gestão da Petrobras, do Castello Branco, não tomou todas as medidas necessárias para não usarem mais a AMS? Temos associados de 70, 80, 90 anos que se não pagarem a mensalidade, passados 150 dias, perdem o direito ao plano e não usam mais. Por que esses corruptos estão usando?

5 “Mensalidades não cobradas”. O vídeo também fala de R$ 379 milhões em mensalidades não cobradas.
Todos os custos da AMS são pagos pela Petrobras e pelos trabalhadores: aposentados, pensionistas ou da ativa. Destes, é descontado na folha do pagamento. Aposentados e pensionistas, descontado direto no benefício. Onde há essa inadimplência? Ele usa jogo de palavras, mas na realidade esses R$ 379 milhões que não foram ressarcidos à AMS são previstos em Acordo Coletivo de Trabalho. Pelo acordo, só pode ser descontado na folha de pagamento 13% como margem consignável. Por isso, quem usa a AMS, tem filhos ou outros tipos de desconto, acaba não pagando, naquele mês, acima deste percentual. Por isso que a AMS, sem discutir com as entidades sindicais, simplesmente enviou boletos aos participantes com cobranças.

6 “Campeã de reclamações”. O presidente diz que as reclamações sobre a AMS são as campeãs na Ouvidoria da Petrobras. Só em 2019 teriam sido 2.595 reclamações.
A AMS teve muitas reclamações no passado, que chegaram a 10 mil. Considerando os dados referentes a 2018 e 2019, apresentados pela própria Petrobras, se reduziu em 7 mil reclamações entre 295 mil beneficiários. Há um processo de melhoria contínua. Mas as reclamações são principalmente porque houve mudanças de gestão desde 2015 e isso originou várias queixas. E o que vai trazer ainda mais quando se transferir para essa associação sem fins lucrativos.

Conclusão
Da mesma forma que a gestão da Petrobras tem que aprovar no Conselho de Administração todas as alterações na administração da Petrobras, ela deve fazer o mesmo na gestão da AMS: consultar os verdadeiros acionistas que são os trabalhadores, que pagam 30% do plano. Há uma denúncia e uma apuração do Ministério Público Federal (MPF) em que o RH e o Castello Branco vão ter que fornecer informações, o que tem sido cobrado deles reiteradamente.

A partir do momento que se passa um plano de saúde para uma gestão de associação sem fins lucrativos, com gestores que não fazem parte do quadro da Petrobras, que não usam o plano da AMS, a tendência é aumentar a corrupção. Quem faz são historicamente os corruptores no país que não as empresas privadas? Não vamos permitir a precarização e a retirada de direitos da AMS. Vamos garantir nosso direito a uma saúde digna para todos/as trabalhadores/ as da ativa, aposentados/as e pensionistas.

Fonte: Sindipetro-PA/AM/MA/AP

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp