Ato nacional pela soberania fechará semana de lutas dia 3 de outubro

Dezenas de entidades se reuniram para formar um coletivo que pretende pautar nas redes e nas ruas temas essenciais para população brasileira. Atos espalhados pelo Brasil terão distanciamento social, distribuição de máscaras e álcool em gel.

O ato deve ser o palco de luta em defesa das empresas públicas de todos setores– petróleo, bancos públicos, correios, eletricidade, saneamento, transporte público e portos públicos que estão em sob a ameaça de extinção ou de privatização total ou parcial (venda de subsidiárias ou ações). A proposta é reunir todas as iniciativas que desejem participar do movimento.

O Ato também representará a luta dos trabalhadores e das trabalhadoras do Brasil em defesa do funcionalismo público, das minorias, contra o racismo, pelos Sem Terra, pelos Sem Teto, pelas Comunidades Quilombolas, pelos Povos Originários do Brasil, pelos direitos da comunidade LGBTQIA+, pelos plenos direitos dos oprimidos, contra o feminicídio e todas as formas de violência contra as mulheres. A mobilização se dá em defesa das Universidades Públicas e do desenvolvimento tecnológico, em defesa de nosso povo e nossas águas e florestas, pela segurança alimentar e contra o desemprego, a miséria e a fome que se alastram pelo Brasil.

O objetivo é um Brasil para o povo brasileiro. A luta é por uma sociedade que ofereça igualdade de oportunidade a todos e todas, sem distinção. Um estado que atue na gestão dos recursos públicos em atendimento às necessidades da população e da universalização de acesso aos direitos sociais previstos na Constituição.

A Luta é pela melhoria dos serviços públicos, por uma gestão eficiente do Estado com controle social e real representatividade dos interesses de todos os segmentos do povo brasileiro. Uma luta do povo e para o povo. Uma luta contra a entrega do patrimônio nacional para grandes corporações e fundos de investimento dominados por interesses de ampliação da riqueza dos bilionários, que visam apenas a exploração de nossas riquezas naturais e da nossa população, até a exaustão. Grupos financeiros de personalidade jurídica, mas sem coração, sem a percepção da pobreza e da fome, que se aprofunda por toda a Nação.

Lutamos por nosso patrimônio e nossa soberania e para nossa capacidade de desenvolvimento econômico e da criação de empregos com direitos trabalhistas, salário justos dentro de uma economia sustentável, que respeite nossa cultura e nossos saberes.

Somos uma nação rica e precisamos defender nossos recursos, nossas empresas, nossa economia e nosso meio ambiente.
O que:
Semana de luta em defesa da Soberania Nacional e por todas as pautas urgentes no Brasil

Quando:
Entre 28 de setembro e 3 de outubro – lives, manifestações de rua e materiais de divulgação online;
3 de outubro – atos presenciais em todos os Estados, respeitando a legislação sanitária de cada local e as regras de distanciamento social.

Fonte: Comitê de Luta em Defesa do Povo Brasileiro, contra as privatizações.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp