Diversos

Churrasco da resistência e plenária dos aposentados do RJ movimenta Acampamento da Luta Petroleira

Cerca de 200 pessoas passaram pela vigília nesta terça-feira (02/07), que celebrou o avanço da formação da comissão multissetorial   Ontem (02/07), o ACAMPAMENTO DA LUTA PETROLEIRA: PELO FIM DOS PEDs, JÁ!, entrou em seu 13° dia com uma agenda bem agitada, repleta de atividades A princípio, logo pela manhã, uma delegação do Fórum das Entidades em Defesa dos Participantes e Assistidos da Petros foi recebida pela diretora-executiva da Petrobras, Clarice Coppeti, e pela gerente-executiva de RH, Lilian Sonce, que confirmaram a formação de uma comissão multissetorial, a ser formada pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST) e da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), além da própria Petrobras, Petros e de representantes das entidades, a fim de encontrar uma solução para o rombo no fundo de pensão. Perto do horário do almoço, começou o churrasco da resistência aos PEDs, organizado pelo Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ), que chegou a reunir, em seu pico, na hora do almoço, cerca de 200 pessoas em apoio à vigília. Já às 14 horas, teve início a plenária mensal da setorial dos aposentados do Sindipetro-RJ, que discutiu os rumos da mobilização da categoria petroleira em busca de colocar um fim nos planos de equacionamentos de déficits do fundo de pensão. Na ocasião, foi entregue uma moção de apoio ao acampamento/vigília contra os PEDs, aprovada no 1° Congresso Nacional dos Ferroviários, realizado entre os dias 30/06 e 3/07, no Rio de Janeiro, emitida pela Confederação Brasileira de Aposentados, Pensionistas e Idosos (Cobap). À noite, os petroleiros que pernoitaram no acampamento assistiram ao empate em 1 a 1 entre Brasil e Colômbia, pela Copa América.   Com informações do Sindipetro-RJ       

LEIA MAIS
Brasil

FNP participa do lançamento do programa “Transpetro em Movimento – Seleção pública de projetos culturais e esportivos”

Serão R$ 17 milhões voltados ao fomento da cultura e do esporte no país;  em carta encaminhada ao ex-presidente da Petrobras, FNP cobrou a retomada de investimentos em cultura e esporte por parte da holding e subsidiárias     Na última semana, no dia 12/06, a Transpetro completou 26 anos. A celebração, que aconteceu no Teatro Rival Petrobras (Rio de Janeiro), contou com a presença de integrantes do Ministério da Cultura, artistas e dirigentes sindicais da categoria petroleira. E, principalmente, marcou o lançamento do programa Transpetro em Movimento – Seleção pública de projetos culturais e esportivos. A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) esteve representada pelo diretor Márcio André, coordenador do Sindipetro Litoral Paulista. No evento, foi anunciado que o programa terá o investimento de R$ 17 milhões – dos quais, R$ 7 milhões serão destinados ao esporte; enquanto outros R$ 10 milhões irão para projetos culturais. As inscrições para a seleção pública vão até 12/07/24, pelo site https://transpetro.com.br/transpetro-institucional/sustentabilidade/patrocinio/programa-transpetro-em-movimento.htm No campo esportivo, o futebol de várzea de comunidades em cidades onde a Transpetro possui instalações será um dos beneficiados pelo programa Transpetro em Movimento. “A Transpetro quer se lançar como um dos principais incentivadores da cultura no Brasil. Essa Seleção Pública terá vigência de 12 meses, baseada na Lei Rouanet e na Lei de incentivo ao esporte”, informou a subsidiária da Petrobras.   Em sua fala na cerimônia, o presidente da Transpetro, Sergio Bacci, afirmou que Transpetro não é uma empresa estatal apenas voltada ao lucro dos acionistas, mas sim uma estatal social, uma empresa estatal de retorno social para o povo brasileiro.   FNP cobrou retomada de investimentos em cultura e esporte Em carta encaminhada em 2023 ao ex-presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, a FNP cobrou a retomada dos investimentos em cultura e esporte por parte da Petrobras e suas subsidiárias, como forma de retornar à sociedade parte dos lucros obtidos através do mercado nacional e da exploração de petróleo, sobretudo devido aos riscos ambientais da atividade. “Desta forma, entendemos como positiva essa iniciativa e o retorno das licitações para projetos culturais por parte da Transpetro. Ficaremos atentos para que esses recursos não sejam para os ‘amigos’, mas sim para artistas, agitadores culturais e esportivos de todo o país, que realmente necessitam de fomento”, ressalta Adaedson Costa, secretário-geral da Federação Nacional dos Petroleiros.

LEIA MAIS
Atos e Greves

FNP repudia ataque antissindical da Transpetro e manifesta apoio ao ex-diretor do Sindipetro-RJ

Wesley dos Santos Brito foi transferido compulsoriamente do CNCL no último dia 06/06 após o fim do seu mandato como dirigente sindical A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) expressa seu total apoio e solidariedade ao ex-diretor do Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ), Wesley dos Santos Brito, diante do ataque antissindical promovido pela direção da Transpetro, no último dia 6 junho de 2024. A transferência compulsória de Wesley do Centro Nacional de Controle e Logística (CNCL) para o TECAM, em Duque de Caxias (RJ), ocorrida logo após o término de seu mandato como diretor do Sindipetro-RJ, no dia 31 de maio, é um claro exemplo de perseguição antissindical. Até a última quinta-feira, Wesley constava nos quadros de empregados do CNCL, com a sua vaga devidamente assegurada. No entanto, a Transpetro passou a alegar que não há mais vagas disponíveis naquela unidade e por isso realizou a transferência do petroleiro. Essa é uma vergonhosa tentativa de intimidar os trabalhadores e enfraquecer a representação sindical na indústria do petróleo. A FNP repudia veementemente essa medida arbitrária e não aceitará nenhuma afronta aos trabalhadores e aos sindicatos. Em apoio às ações já iniciadas pelo Sindipetro-RJ, a FNP também tomará todas as medidas cabíveis, sejam elas administrativas, jurídicas e de mobilização da categoria, para reverter essa injustiça cometida contra o petroleiro Wesley dos Santos Brito. Nos somamos à convocatória do Sindipetro-RJ para reunir a categoria nas assembleias desta semana, deliberando uma resposta contumaz ao ataque da Transpetro. Não vamos normalizar qualquer prática antissindical da Petrobras ou das suas subsidiárias! Não vamos permitir perseguição aos nossos companheiros e companheiras! Pelo retorno imediato do companheiro Wesley dos Santos Brito ao CNCL, já! MEXEU COM UM, MEXEU COM TODOS!   Federação Nacional dos Petroleiros Rio de Janeiro, 10 de junho de 2024

LEIA MAIS
Brasil

FNP encampa a luta nacional contra a precarização do trabalho

Manifesto contra as Terceirizações já reúne mais de 1.000 assinaturas da sociedade civil   Ao final de maio, a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) participou do lançamento do Manifesto contra as Terceirizações e a Precarização do Trabalho, realizado na Unicamp (SP), que evidencia a indignação da sociedade civil frente às recorrentes notícias de trabalho análogo à escravidão no Brasil. Por deliberação da diretoria executiva, a FNP também passa a encampar essa luta, que já conta com mais de 1.000 assinaturas de lideranças sindicais e populares, dirigentes políticos e intelectuais, como os professores Ricardo Antunes (Unicamp), Jorge Luiz Souto Maior (USP e desembargador do trabalho) e Vladimir Safatle (USP). Em seu primeiro parágrafo, o manifesto brada contra a terceirização, pela erradicação do trabalho escravo, a revogação integral da “reforma” trabalhista e o reconhecimento dos plenos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras em plataformas digitais. O texto aponta que a terceirização é um instrumento jurídico a serviço do grande capital que facilita a impunidade de grandes empresas envolvidas em práticas de trabalho escravo, uma vez que os seus responsáveis invariavelmente alegam não possuir controle sobre as condições de trabalho dos seus empregados terceirizados. Estima-se que hoje o fenômeno da terceirização abrange cerca de 12,5 milhões de trabalhadores no Brasil, predominantemente locados no setor de serviços e majoritariamente composto por mulheres, que recebem salários mais baixos e têm condições de trabalho inferiores. O manifesto também enfatiza a necessidade de se revogar a Reforma Trabalhista de 2017, que intensificou a precarização das relações de trabalho e promoveu a ampliação da terceirização e do trabalho intermitente. Entre 2018 e 2022, 7.541 pessoas foram resgatadas de condições análogas à escravidão, com uma maioria dessas se reconhecendo como negras. O texto também destaca o crescimento do trabalho em plataformas digitais, afetando cerca de 1,5 milhões de trabalhadores, sem direitos trabalhistas assegurados. Os signatários do manifesto defendem a erradicação da terceirização como um passo fundamental para a justiça social, garantindo que trabalhadores terceirizados não sejam prejudicados no processo de transição. E reforçam a necessidade de igualdade salarial e de acesso a direitos básicos, como saúde, educação, lazer e transporte. O manifesto, por fim, conclama a população a refletir e agir em defesa dos direitos democráticos e sociais, além de pedir punição aos empresários escravocratas. “Trata-se de uma tarefa urgente, que, embora já se realize com enorme atraso, apresenta-se como uma forma de reparação política para com estes(as) trabalhadores(as), além de se constituir um importante e necessário avanço na condição de vida da classe trabalhadora do país, assim como uma reviravolta com relação aos rumos impostos pela ‘reforma’ trabalhista, indo, pois, na direção da defesa efetiva de direitos democráticos e sociais.”   CLIQUE AQUI PARA LER O MANIFESTO NA ÍNTEGRA E ASSINAR O ABAIXO-ASSINADO

LEIA MAIS
Diversos

FNP recepciona 370 novos empregados do Sistema Petrobras

Dirigentes destacaram importância da organização sindical e relembraram da recente luta de outros calouros por acesso a auxílios desde os primeiros dias de empresa   Ontem (03/06), a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) participou da recepção de 370 novos empregados do Sistema Petrobras, concursados de nível superior para atuar nas áreas de engenharias e outras especialidades, que aconteceu no Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), no Rio de Janeiro (RJ). Os dirigentes da FNP reforçaram a importância das entidades sindicais como representação legítima dos trabalhadores, bem como a necessidade dos novos empregados se organizarem junto aos sindicatos de suas bases. Foi destacado a esses calouros que outros trabalhadores recém-ingressos na companhia pleitearam acesso a auxílios durante o período de realização dos cursos formativos no Rio de Janeiro, tendo em vista que muitos migraram de outras regiões do país. Ainda que a companhia tenha se mostrado resistente em pagar esses benefícios de apoio aos novos petroleiros, isso não impediu que eles lutassem desde os primeiros nos quadros da companhia. E isso mostra como a organização da categoria é importante na busca por direitos. A FNP, por fim, enfatizou a importância da chegada desses novos companheiros e companheiras ao Sistema Petrobras após longo período sem a realização de concursos e a consequente lacuna na força de trabalho. “Temos a certeza de que esses trabalhadores e trabalhadoras também vão ajudar a transformar a Petrobras em uma empresa de energia sustentável”, destacou Adaedson Costa, secretário-geral da FNP.  

LEIA MAIS
Brasil

FNP participa do lançamento do Observatório das Doenças Infecciosas no Trabalho

Evento na Fiocruz reuniu especialistas, políticos e dirigentes sindicais que trataram da exposição da trabalhadora ao vírus da covid-19 e demais patologias de contágio biológico   Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho, a cada 15 segundos, um trabalhador morre no mundo. No Brasil, entre 2007 e 2022, o Sistema Único de Saúde (SUS) atendeu quase 3 milhões de casos de doenças ocupacionais, sendo 52,9% relacionados a acidentes de trabalho graves, conforme levantamento do Ministério da Saúde. A mesma pesquisa também apontou que 26,8% dessas notificações foram geradas a partir da exposição da classe trabalhadora a material biológico [CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS].  Durante a pandemia, esses dados chamaram atenção das pesquisadoras da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Liliane Teixeira, Rita Matos e Maria Juliana Moura Corrêa, que criaram a Rede de Informações e Comunicação sobre a Exposição de Trabalhadores e Trabalhadoras ao Sars-CoV-2 (Rede Trabalhadores & Covid-19), a fim de esclarecer as dúvidas das mais variadas categorias profissionais em meio à crise sanitária. A Rede Trabalhadores & Covid-19 – financiada pelo Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul (MPT-RS) – é o embrião do Observatório das Doenças Infecciosas no Trabalho (ODIT), que foi lançado ontem (27/02), na sede da Fiocruz, em Manguinhos (Zona Norte do Rio de Janeiro). A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) marcou presença no evento, representada pelo diretor de aposentados Roberto Ribeiro. Em suma, o Observatório é um ambiente virtual, de linguagem e acesso livre aos diferentes atores sociais, hospedado no Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana, da Escola Nacional de Saúde Pública (Cesteh/ENSP/Fiocruz), com o propósito de subsidiar as tomadas de decisões de gestores públicos e privados, e contribuir para ações integradas intersetoriais na área da saúde do trabalhador. A mesa de lançamento foi composta pelo vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fundação Oswaldo Cruz,  Hermano Castro; o diretor da ENSP/Fiocruz, Marco Menezes; a coordenadora do Cesteh/ENSP e uma das responsáveis pelo Observatório, Rita Mattos; o diretor executivo nacional da Asfoc, Paulo Henrique Garrido; o pesquisador do Instituto Nacional de Infectologia (INI), Rodrigo Moreira, representando a diretora Valdiléa Veloso; a procuradora Luciene Rezende Vasconcellos (MPT-RJ), representando a procuradora Aline Brasil (MPT-RS); e o presidente da Embratur, Marcelo Freixo, deputado federal em 2022, que destinou emenda parlamentar para a criação do ODIT.   A pandemia na categoria petroleira Durante o debate, os palestrantes e o auditório manifestaram preocupação com a circulação do vírus Covid-19 ainda nos dias atuais, assim como com a chamada “covid longa” e as consequentes sequelas que atingiram profissionais de diversas áreas. Os petroleiros presentes na atividade lembraram da importância do trabalho remoto (home office), modalidade adotada em larga escala durante a pandemia, que foi fundamental para ajudar na mitigação do contágio e segue como uma reivindicação da categoria a ser regulamentada pela Petrobras (inclusive pauta da campanha do último ACT). Também foi lembrado do caso dos petroleiros que atuam no offshore e passavam por uma quarentena em um hotel antes do embarque nas plataformas em alto mar – operando com um número mínimo de trabalhadores – e, no retorno, após duas semanas de trabalho embarcados, novamente entravam em confinamento antes do retorno a suas casas. “Isso mostra que ninguém estava preparado para essa doença, para a pandemia de covid-19”, relembra Roberto Ribeiro. “O Observatório será um ótimo canal de denúncias para apoiar a classe trabalhadora no combate às maldades do capitalismo. Essa ferramenta será uma grande aliada importante nas lutas pela saúde dos trabalhadores”, completou o dirigente da FNP.   ASSISTA AO VÍDEO DE LANÇAMENTO DO ODIT

LEIA MAIS
Diversos

FNP homenageia mães petroleiras

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) expressa as mais sinceras homenagens a todas as mães neste Dia das Mães. Celebramos nesta data o amor incondicional, a dedicação e a força de todas as mães, em especial as mamães petroleiras, que desempenham um papel vital em nossa indústria. Admiramos a resiliência característica dessas matriarcas, que moldam o futuro não apenas de suas famílias, como também contribuem para a construção de uma sociedade mais justa e solidária. Que este Dia das Mães seja um momento de celebração e gratidão. Que todas as mães sejam honradas e reconhecidas todos os dias. Feliz Dia das Mães!   Rio de Janeiro, 10 de maio de 2024 Federação Nacional dos Petroleiros

LEIA MAIS
Diversos

Petrobras prorroga prazo para desligamento de empregados que aderiram ao PDV 2019

CA da Petrobras aprovou medida que garante aos interessados permanência até 2026, sem alterações nas vantagens e indenizações   O Conselho de Administração (CA) da Petrobras anunciou, hoje (30/04), a aprovação da postergação do prazo para o desligamento de empregados lotados no Refino e na Tecnologia de Refino e Gestão de Ativos (TR), das ênfases de nível técnico de Operação, Segurança do Trabalho, Manutenção, Inspeção de Equipamentos e de nível superior de Engenharia, classificados na categoria C do Programa de Desligamento Voluntário (PDV) 2019. Com essa medida, a vigência do programa, que anteriormente se encerraria em 30/09/2024, foi prorrogada até 30/09/2026. Em ofício enviado à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), a Petrobras informou que os empregados serão consultados e poderão manifestar adesão à postergação por meio de uma ferramenta a ser disponibilizada pela empresa, entre os dias 02/05/2024 e 27/05/2024, com comunicação sobre a postergação até 29/05/2024. No caso dos empregados que façam a opção por não aderir à postergação do PDV 2019, as datas de desligamento já agendadas serão mantidas. Ademais, a prorrogação também abrangerá os empregados de todas as ênfases e categorias, e lotados em qualquer unidade, que aguardam a concessão de aposentadoria (status “suspenso”), com data anterior à Emenda Constitucional 109/2019 (Reforma da Previdência). Essa medida também será válida para aqueles que comprovarem ter a solicitação de aposentadoria ativa junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ou que tenham ação judicial relacionada à concessão de aposentadoria em andamento. Os documentos comprobatórios necessários também devem ser enviados à Companhia entre 02/05/2024 a 27/05/2024. Em caso contrário, continuarão vigentes as datas previstas no regramento do PDV 2019 e em seus aditivos, necessitando carta de concessão de aposentadoria a ser entregue até no máximo o dia 30/07/2024, e desligamento até 30/09/2024. A Petrobras destacou, por fim, que em qualquer situação posta, não haverá incremento nas vantagens e indenizações a serem pagas no âmbito do PDV 2019.

LEIA MAIS
Brasil

FNP repudia tentativa de cassação dos mandatos de Glauber Braga e Fernanda Melchionna por parte do PL

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) vem a público manifestar seu total repúdio diante das tentativas de cassação dos mandatos do deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) e da deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS), promovidas pelo Partido Liberal (PL), que foram rapidamente encaminhadas ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, nos últimos dias. O pedido de cassação contra o deputado Glauber Braga é motivado por sua defesa veemente do povo palestino e sua condenação ao genocídio perpetrado pelo Estado de Israel em Gaza. Trata-se de uma clara tentativa de cerceamento da liberdade de expressão do parlamentar e uma afronta à solidariedade internacional dos povos. É inaceitável que um debate legítimo sobre direitos humanos e justiça social seja tratado com arbitrariedade e autoritarismo. Da mesma forma, a investida contra a deputada Fernanda Melchionna ocorre por sua crítica contundente à família Bolsonaro, novamente envolvida em conexões com atividades criminosas. O uso do Conselho de Ética da Câmara como instrumento de retaliação política viola os princípios democráticos e à ética parlamentar. É ainda mais preocupante observar a celeridade com que tais representações foram encaminhadas pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, contrastando com a morosidade habitual em casos que envolvem parlamentares alinhados à extrema-direita. Essas tentativas de intimidação e cerceamento político na Câmara dos Deputados devem acabar. Exigimos respeito à pluralidade de opiniões e à livre expressão parlamentar. Expressamos a nossa solidariedade aos deputados Glauber e Fernanda, e reforçamos o pedido pela rejeição dessas representações infundadas e que sejam garantidas as prerrogativas democráticas do livre exercício dos mandatos de ambos. A Federação Nacional dos Petroleiros permanecerá vigilante e atuante na defesa dos valores democráticos e dos direitos fundamentais, repudiando qualquer forma de autoritarismo e injustiça.   ARTE: @samiabomfim  

LEIA MAIS
Brasil

FNP participa de evento parlamentar de fomento ao uso do biodiesel nas cidades brasileiras

 “Construindo o Futuro: Biodiesel e Desenvolvimento Sustentável nos Municípios” reuniu gestores públicos, especialistas e representantes de entidades setoriais em Brasília A convite da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FPBio), em nome do seu presidente, deputado federal Alceu Moreira, a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) participou, hoje (27/03), do seminário “Construindo o Futuro: Biodiesel e Desenvolvimento Sustentável nos Municípios”. O evento, que contou com a presença de gestores municipais de todo o Brasil e do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, aconteceu no Auditório Prof. Lourenço Chehab, na sede do Ministério dos Transportes, em Brasília (DF). O objetivo atividade foi discutir os avanços e os desafios do biodiesel como fonte energética renovável e o seu impacto no desenvolvimento sustentável das cidades brasileiras. Além de autoridades governamentais, representantes de entidades setoriais, da indústria e da sociedade civil, especialistas e demais agentes da cadeia produtiva do biodiesel marcaram presença na atividade. A FNP esteve representada pelo diretor Luciano Alves, dirigente da base do Sindipetro Alagoas/Segipe (AL/SE). Durante o seminário, foram debatidas as formulações de políticas públicas, os incentivos fiscais, a própria cadeia produtiva do biodiesel –  produção, distribuição e uso –, além de suas implicações socioeconômicas e ambientais. A ideia é criar um ambiente colaborativo na promoção de iniciativas que visam o fortalecimento da produção sustentável e o desenvolvimento econômico e social das comunidades brasileiras.   Visita aos gabinetes O dirigente da FNP, Luciano Alves, aproveitou a ida à Brasília para visitar os gabinetes de deputados federais a fim de pedir apoio na campanha pelo retorno da Petrobras ao Nordeste, em especial nos estados de Alagoas e Sergipe.

LEIA MAIS

Está gostando do conteúdo? Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Categorias