Com novo reajuste da Petrobrás, efeito do corte de impostos já é nulo, antes mesmo de entrar em vigor

A Petrobrás anunciou, para esta terça-feira (2), mais um aumento de 5% para o diesel (R$ 0,1294) e a gasolina (R$ 0,1240) e de 5,2% para o gás de cozinha (R$3,05). Ao longo do ano, os aumentos acumulados de 41,5% para a gasolina e 34% para o diesel já tornam nulos os efeitos do corte de impostos federais, anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro.

O governo zerou, pelos próximos dois meses, os impostos federais (PIS e Cofins) sobre o diesel e eliminou permanentemente o tributo do botijão de gás, equivalente a R$ 2 e já superado pelos R$ 3,05 da última alta.

Se contarmos apenas a isenção para o diesel, a medida terá um impacto de R$ 3 bilhões nos cofres públicos, e precisará ser compensada por outra fonte de arrecadação, ainda não informada pelo governo. 

O novo aumento ocorre em decorrência do chamado PPI (Preço de Paridade de Importação), que leva em consideração a cotação internacional do petróleo e do dólar, entre outros itens. Apesar de determinar a troca de comando da estatal, o presidente Jair Bolsonaro não mexeu na política de precificação adotada pela empresa.

É preciso derrubar esta política de preços e defender a Petrobrás 100% estatal e a serviço da população!

Gasolina a preço justo
Para denunciar o PPI e o desmonte da Petrobrás, o Sindipetro-SJC realiza nesta terça-feira (2) a ação “Gasolina a preço justo”, com a distribuição de mil litros do combustível, entre 9h e 11h, no posto BR da Av. Dep. Benedito Matarazzo (ao lado do CenterVale Shopping). O combustível será distribuído gratuitamente apenas a motoristas e entregadores de aplicativos, mediante comprovação do trabalho. Todos os petroleiros estão convidados a participar da ação!

Fonte: Sindipetro-SJC

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp