Nota sobre a demissão de Jean Paul Prates e a troca na presidência da Petrobras

FNP reafirma que a organização da categoria deve ser o farol para os trabalhadores, independentemente de quem entra ou sai do comando da estatal

 

Após vários momentos de instabilidade e turbulência durante os 15 meses à frente da Petrobras, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, demitiu, ontem (14/05), Jean Paul Prates da presidência da estatal.

Conforme já anteciparam os veículos de imprensa, a nova presidente da Petrobras deve ser Magda Chambriard, engenheira e ex-presidente da Agência Nacional do Petróleo (ANP) durante o governo Dilma Rousseff.

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) enfatiza que o futuro presidente ou presidenta da Petrobras será cobrado do mesmo jeito a resolver os problemas da Petros, da recompra dos ativos vendidos nos últimos governos, do retorno da companhia ao setor de fertilizantes (sem intermediários) e demais questões caras à categoria.

Independentemente de quem entra ou quem sai na Alta Administração da empresa, o mais importante, agora e sempre, é a organização da categoria petroleira.

O nosso compromisso com a luta dos trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobras deve ser sempre o farol a nos guiar, de modo a transpor qualquer obstáculo a fim de garantir uma Petrobras 100% estatal, soberana e que atenda aos interesses do povo brasileiro.

 

Rio de Janeiro, 15 de maio de 2024
Federação Nacional dos Petroleiros

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp