Notícias

FNP denuncia Roberto Castello Branco por improbidade administrativa

Após deixar Petrobrás, onde participou da venda de ativos à 3R Petroleum, tornou-se presidente do seu Conselho. FNP pede investigação

23/05/2022
FNP denuncia Roberto Castello Branco por improbidade administrativa

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) entrou, na última quinta-feira (19/05), com denúncia no MPF (Ministério Público Federal) contra o ex-presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, por suposta prática de improbidade administrativa.

A FNP pede que seja investigada a possibilidade de fornecimento de informações privilegiadas ou mesmo tráfico de influência, que possam ter favorecido a 3R Petroleum na aquisição de ativos da Petrobrás durante a gestão de Castello Branco.

Para a FNP, os crimes teriam acontecido na época em que aconteceu a venda de campos e complexos industriais dos polos Peroá, Macau, Potiguar, Recôncavo e Ventura para a 3R Petroleum.

Vale ressaltar que no início de maio, Castello Branco foi eleito presidente do Conselho de Administração da 3R.

Segundo Raquel Sousa, advogada da FNP, é muito estranho que, menos de três meses após ter saído do comando da Petrobrás, onde participou do processo de negociação para a venda desses ativos, Castello Branco tenha tomado posse do mais alto cargo da empresa beneficiada.

“Ou seja, o vencedor ainda poderá ter que enfrentar uma negociação e perder o direito adquirido. Isso abre um leque de possibilidades para extorquir do vencedor condições completamente estranhas ao interesse público”, declara Raquel.

Mas, de acordo com a FNP, as vendas dos ativos podem ser revertidas por conta de a legislação não permitir favorecimento e que mesmo após a venda o processo pode ser desfeito. Para ela, o fato de Castello Branco assumir um cargo na empresa que comprou ativos da Petrobrás na gestão dele não seria uma mera coincidência, mas que o posto de presidente seria uma premiação pelos serviços prestados e por isso os fatos precisariam ser apurados.

Veja o vídeo em que o secretário geral da FNP, Adaedson Costa, fala sobre a denúncia:

Leia a denúncia, aqui, na íntegra.

“Não podemos achar que tudo isso tenha sido uma mera coincidência. O que nos parece, na realidade, é que o posto de presidente foi uma premiação pelos serviços prestados e isso precisa, urgentemente, ser investigado”, conclui Raquel.
 

Tags fnp petrobras denuncia

Contato

Av. Passos, 34 - Centro
Rio de Janeiro/RJ
CEP 20051-040 Telefone: 21 2263-5147
fednacpetroleiros@gmail.com

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos