Petroleiros da Amazônia aderiram ao dia unificado de greve da categoria

Petroleiros dos 17 Sindipetros realizaram dia unificado de paralisações e greve em todo país

A sexta-feira, 24, foi um dia unificado de greve dos 17 sindipetros brasileiros contra a venda de ativos e desinvestimentos de Dilma/Bendine e contra o Projeto de Lei (PLS) de José Serra, que pretende retirar a participação mínima de 30% dos blocos licitados e que desobriga a Petrobrás de atuar como operadora única do pré-sal. A data também deu o tom sobre a disposição de luta da categoria para a Campanha Reivindicatória 2015.

Nas bases do Sindipetro PA/AM/MA/AP, os petroleiros da Amazônia aderiram à mobilização e realizaram paralisações no prédio sede da Petrobrás (3h), em Manaus (administrativo), e nas Transpetro Belém (24h) e São Luís (3h), com adesão de cerca de 70% do operacional e 100% do turno, entre terceirizados e próprios.

Além das unidades da Amazônia, o dia nacional de greve no Sistema Petrobrás teve adesão massiva em todas as bases da FNP, nas unidades do Sindipetro-Litoral Paulista (LP), Sindipetro-RJ, Sindipetro-São José dos Campos (SJC) e Sindipetro-Alagoas/Sergipe (AL/SE).

A grande vitória dessa luta, foi a unidade dos 17 sindicatos petroleiros contra o nefasto Plano de Gestão e Negócios da Petrobrás. A categoria deu seu recado de norte a sul e afirmou que não aceitará o desmonte e privatização da companhia, nem a entrega do pré-sal às multinacionais do petróleo, muito menos qualquer corte de direitos e demissões. Os petroleiros não vão pagar pela crise do capital, esse foi o tom das mobilizações que aconteceram nesta sexta-feira, 24. A luta apenas começou!

UNIDADE: por Acordo Único do Sistema Petrobrás e por uma Petrobrás 100% Estatal e Pública

A greve de 24h, neste dia 24, foi uma deliberação da plenária final do 9º Congresso Nacional dos Petroleiros da FNP, que também aprovou a Carta do Rio, documento que explicita a posição da FNP em relação à crise na Petrobrás e reafirma a necessidade da unidade dos 17 sindipetros brasileiros e de toda a categoria para lutar em defesa dos direitos dos trabalhadores próprios e terceirizados, por um Acordo Único do Sistema Petrobrás e por uma Petrobrás 100% Pública e Estatal.

Seguindo o calendário aprovado no congresso da FNP, no próximo dia 16 de agosto a Federação e seus sindicatos realizam um dia nacional de agitação e no dia 29 de agosto está prevista a realização de uma plenária nacional unificada. O objetivo é aprovar uma jornada de lutas contra os leilões do petróleo em outubro, entre outras datas.

Na próxima semana, o Sindipetro PA/AM/MA/AP inicia uma rodada de assembleias para votar a pauta aprovada no congresso da FNP, a representação da Federação nas negociações da Campanha Reivindicatória 2015 com a Petrobrás e o estado de greve nas bases da Amazônia. O calendário completo de assembleias será divulgado no boletim do Sindicato.

Fonte: Sindipetro-PA/AM/MA/AP

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp