Petrobrás agenda reuniões para fevereiro, mas não responde sobre PLR, Benefício Farmácia e punições

Reuniões nos dias 25 e 26 serão as primeiras bimestrais de acompanhamento do ACT. Sem resposta sobre reivindicações da categoria, FNP sinaliza para retomada das mobilizações que levaram à maior greve dos últimos 20 anos

A Gerência de Relações Trabalhistas e Sindicais da Petrobrás encaminhou à FNP esta semana um ofício agendando as reuniões bimestrais de acompanhamento do ACT, que começam nos dias 25 e 26 de fevereiro (clique aqui para conferir toda a agenda). Como nos anos anteriores, estão previstas discussões sobre o cumprimento das cláusulas, além das demandas de AMS, SMS e sobre terceirização.

No entanto, a empresa insiste em não responder sobre três assuntos que estão preocupando toda a categoria petroleira: o adiantamento da PLR, a manutenção do Benefício Farmácia e as punições da greve do ano passado. Dirigentes da FNP já procuraram diversas vezes o diretor Corporativo e de Serviços, Antônio Sérgio de Oliveira Santana, e o gerente de Relações Trabalhistas e Sindicais, Mauricio Lopes Ferreira, mas ninguém dá uma posição sobre as reivindicações da categoria.

Quando decidiu pela suspensão da maior greve dos últimos 20 anos, a direção da FNP avisou que retomaria as mobilizações caso houvesse qualquer ataque aos direitos dos petroleiros. Não vamos ficar calados diante da privatização de unidades do Sistema Petrobrás, do sucateamento e interrupção do Benefício Farmácia, das punições aos grevistas, da falta de diálogo sobre o adiantamento da PLR e qualquer outro ataque aos nossos direitos.

 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp