Sindipetro-LP orienta fortalecimento das mobilizações nas plataformas

A participação da categoria nas mobilizações é fundamental para o avanço de nosso acordo coletivo. A pressão dos petroleiros embarcados nas plataformas de Merluza e Mexilhão nas mobilizações que antecederam a greve de 2015 foi importante para fortalecer o movimento, que ganhou vulto nacionalmente e uniu os 17 sindicatos em defesa do trabalhador. Como resultado, conseguimos manter direitos e benefícios e repor a inflação

Neste ano, a luta não pode ser diferente. Na última terça-feira (29), a empresa apresentou a quarta proposta de acordo coletivo. Embora tenha recuado num dos principais ataques, a tentativa de impor hora extra a 50%, segue oferecendo reajuste zero parcelado e tentando impor a proposta de redução salarial com redução de jornada. Outro ponto que a empresa acabou cedendo, fruto da pressão e insatisfação da categoria, foi em relação à migração do auxílio almoço para o vale alimentação. Na terceira proposta, essa transferência era obrigatória. Agora, passa a ser opcional.

Na verdade, é o que costumamos falar no ?boca a boca?: a empresa tirou os ?bodes? da sala. Ou seja, tenta apresentar como um avanço a retirada de direitos que ela tentou impor na primeira proposta. Agora, concretamente, se inicia as negociações na medida em que partimos minimamente daquilo que já temos garantido para buscar um avanço, sobretudo no aspecto econômico.

Devido à dificuldade de mobilização do Sindicato nas plataformas, seja em virtude da ausência de um dirigente nas plataformas, seja em virtude da dificuldade de acompanhar os embarques, o Sindipetro-LP orienta aos petroleiros embarcados que sigam a operação padrão e atrasem a emissão de PTs em duas horas.

Em terra, as mobilizações continuam em todas as unidades do Sistema Petrobrás da Baixada Santista, conforme deliberação da categoria na última assembleia. Em nosso site, é possível conferir detalhadamente como tem sido as paralisações.

A FNP indica a rejeição da proposta e orienta que seus sindicatos realizem as assembleias até o dia 13. Caso a empresa não apresente uma nova proposta até o dia 15, a orientação é de que novas sejam marcadas. Neste caso, já discutindo e deliberando o indicativo de greve à luz do cenário nacional. Em breve, a diretoria colegiada do Sindipetro-LP divulgará a data de assembleia em nossa base. Acompanhe nossos informes na fanpage do sindicato (facebook.com/sindipetrolp) e no site oficial (sindipetrolp.org.br).

Fonte: Sindipetro-LP

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp