Equacionamento da Petros

Na tarde desta quinta-feira (18), a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) reuniu-se com conselheiros eleitos da Petros, com o GDPAPE, com a FENASPE e seus advogados para debater questões relacionadas ao equacionamento da Petros.

Informes, durante a reunião, foram dados sobre o equacionamento, além de discutirem a realização de um ato nacional em defesa da Petros com todas com todas as instituições envolvidas: FENASPE, AEPET, FNP, FUP GDPAPE e AMBEP. Advogados presentes também inteiraram o grupo sobre as ações em andamento.

Além disso, os participantes da reunião também debateram os rumos das ações coletivas e principalmente a necessidade da patrocinadora fazer um aporte. Em mesa, a Petrobrás alegou estar preparando uma proposta. Mas, até o momento, nada foi apresentado.

Vale lembrar que em novembro de 2017, o GT foi criando com as federações dos petroleiros e a dos marítimos para debater alternativas ao Plano de Equacionamento da Petros.

Na época, gestores da Petrobrás afirmaram que a iniciativa demonstrava a sensibilidade da empresa com a grave situação que os petroleiros ativos, aposentados e pensionistas estão passando, com a ameaça de cobrança de contribuições extraordinárias para a Petros.

No entanto, exatamente após 18 dias da virada do ano, a Petrobrás ainda não chamou os representantes das federações que compõem o GT para retomar os trabalhos e nem esboçou qualquer “resposta consistente”, segundo Ronaldo Tedesco, Conselheiro Deliberativo eleito da Petros e representante da FNP no GT.

Agora, a FNP vai exigir a continuidade do GT.

Em vídeo, Adaedson Costa (FNP/Sindipetro-LP), Ronaldo Tedesco e Marcus Coelho (Advogado da FNP) falam sobre o equacionamento e os próximos passos.

 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp