Bases da FNP resistem e fazem paralisações

As paralisações das bases da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) se inserem numa longa série de lutas dos trabalhadores, desde que a ameaça de demissão ficou iminente por conta do anúncio das privatizações.

Uma guerra declarada pelos trabalhadores ao projeto neoliberal que se baseia no desmonte do Estado e na destruição de sua função social. A privatização dos serviços públicos e das empresas estatais é um dos pontos chaves da “bíblia neoliberal”. Por conta disso, os petroleiros das bases da FNP reagem.

O estopim das mobilizações foi o anúncio da privatização de quatro refinarias (duas no Nordeste e duas no Sul do país), além de 12 terminais da Transpetro e o fechamento das Fafens.

Neste contexto, os petroleiros e petroleiras do Grupo 1 e do horário administrativo da Revap (Refinaria Henrique Lage), em São José dos Campos (SP), aprovaram, na manhã da última quarta-feira (16), assembleia permanente e estado de greve contra a privatização, em defesa dos empregos, da Petros e dos direitos da classe trabalhadora. Além disso, os trabalhadores atrasaram a entrada em duas horas.

Um dia após paralisar a Refinaria de Cubatão, o Sindipetro-LP atrasou, também na última quarta, a entrada de petroleiros diretos e terceirizados do Tebar – terminal da Transpetro, localizado em São Sebastião.

No Rio de Janeiro, vestidos de preto, petroleiros realizaram na tarde de ontem (16), no EDISEN, um ato em protesto contra a venda de refinarias, dutos, terminais, FAFENS, campos terrestres e retirada de direitos dos trabalhadores da Petrobrás.

As bases dos sindipetros Alagoas/Sergipe estão realizando assembleias. Pará/Amazônia/Maranhão/Amapá seguem aprovando estado de greve em suas assembleias, que vão até o dia 18 de maio.

As mobilizações são fruto do calendário de lutas aprovado no último dia 9, aqui no Rio de Janeiro, durante Plenária Nacional ampliada de petroleiros, articulada pela FNP com a presença de petroleiros de base, oposições e outras entidades.

Mais informações serão divulgadas após o término das assembleias de todas as bases da FNP.  Os caledário das assembleias estão disponíveis no site da Federação Nacional. Fique atento!

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp