Urucu: Sindicato acompanha perícia que apontou benzeno no ar

O Sindipetro encaminhou à 1ª Vara do Trabalho de Manaus relatório de perícia judicial realizada na Província do Urucu que constatou presença de benzeno na planta industrial. O sindicato solicita que seja detectado o grau de risco, incluindo a substância nos formulários do Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), o que não foi medido pela Petrobras.

Subproduto da cadeia produtiva do petróleo, a exposição ao benzeno deve ser controlada, conforme legislação federal. Em fevereiro, denunciamos às autoridades que os testes de medição não estavam sendo feitos desde junho do ano passado.

Durante a perícia, que avaliou o nível de benzeno para realização de atividades como drenagem dos tanques de petróleo, purga e limpeza de filtro da ETE e ETA, foram constatada s “presença em níveis bastante elevados e com possibilidade de risco à saúde do trabalhador”, relata o documento levado à justiça pelo Sindipetro.

O relatório demonstra que a Petrobras não investiu em capacitação dos profissionais que atuam na higiene ocupacional, o que resulta, dentre outras coisas, em falta de aptidão para manuseio dos aparelhos de medição.

A Petrobras também realizou sua perícia própria. Segundo relatório da empresa, porém, os níveis de benzeno estão normais. Um absurdo que coloca em risco nossa saúde e nossas vidas!

Mas, conforme o acompanhamento do Sindipetro, é óbvia a necessidade de reconhecimento da presença da substância. Esperamos obter decisão favorável para resguardar a integridade física dos trabalhadores.

Assim, com o benzeno incluído nos PPPs, estará garantida a possibilidade de aposentadoria especial, uma vez que os trabalhadores estão expostos aos agentes químicos.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp