Petroleiros da Revap farão jornada de lutas entre os dias 19 e 30

Após rejeitar a proposta da empresa para a Campanha Salarial, os petroleiros da Revap deram um passo a mais na defesa dos direitos do ACT e definiram uma série de atividades para construção de uma greve que pressione a Petrobrás.

Com campanha nas redes sociais, atrasos na entrada e cortes de rendição nos turnos e no H.A., eles participarão da jornada unificada de lutas, da FNP e da FUP, que ocorre entre os dias 19 e 30.

A decisão foi tomada no Seminário de Qualificação de Greve, que aconteceu no Sindipetro-SJC, no sábado (17), que . Nos dias 30 e 31 será o Seminário unificado de greve entre as federações, que irá definir o futuro da categoria.

A greve nacional petroleira é a única forma de vencer a intransigência da Petrobrás e fazê-la avançar na proposta de um ACT que preserve os direitos dos petroleiros.

Medidas judiciais
Enquanto isso, o Sindipetro-SJC também defender na FNP medidas judiciais para garantir a prorrogação da data base e preservar os direitos dos petroleiros.

"Fazemos um chamado aos 18 sindicatos de petroleiros pela unificação. Apenas unidos em uma greve nacional seremos capazes de vencer os ataques impostos por Bolsonaro e Castello Branco", disse o presidente do Sindipetro-SJC, Rafael Prado.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp