ZONA DE RISCO | Novos petroleiros estão hospedados em hotel situado na mesma calçada onde ocorreu assassinato de advogado, no Rio de Janeiro

Além de estar em uma área perigosa da região central, Ibis Santos Dumont não suporta a capacidade atual de hóspedes, com problemas que vão da falta de alimentação durante o café da manhã até o não funcionamento de elevadores

 

Cerca de 190 novos petroleiros do Sistema Petrobras, aprovados e convocados no concurso PSP 2021 – turma de nível superior, ampla maioria de engenheiros –, estão passando por uma perigosa e desagradável experiência no Centro do Rio de Janeiro, em seus primeiros dias de companhia.

Desde o dia 18 de fevereiro, durante a fase de treinamento, eles estão hospedados no Hotel Ibis Santos Dumont, situado na Av. Mal. Câmara, 280, no Centro da cidade.

Na mesma calçada onde os ônibus da Petrobras estacionam para buscar e levar os entrantes aos cursos de formação, e onde também aconteceu, ontem (26/02), o fatídico assassinato do advogado Rodrigo Marinho Crespo, executado com mais de 10 tiros, em plena luz do dia (durante à tarde) – testemunhado, inclusive, por alguns petroleiros.

Além da experiência traumática, os novos petroleiros já reclamavam da falta de segurança ao anoitecer, uma vez que a região perde o movimento de transeuntes e atrai dezenas de moradores de rua e usuários de drogas para a frente do hotel.

“Ninguém pode sair após às 20h. E não tem farmácia, restaurante, supermercado, nada perto. Se você quiser comprar uma água, precisa chamar um Uber e ir até outro bairro. O assassinato, agora, é o ápice do medo. Um colega nosso viu a cena, saiu correndo e se jogou no chão. Está traumatizado”, disse um petroleiro entrante à reportagem da FNP.

De acordo com levantamento do G1, a área onde o advogado foi morto registrou o aumento do número de homicídios no ano passado em comparação ao mesmo período de 2022.

Foram 25 mortes em 2023; e 21 assassinatos em 2022, naquela área central, que é patrulhada por soldados do 1° Batalhão da Polícia Militar (BPM) da Praça Harmonia, segundo dados do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro.

 

Precariedade do Hotel Ibis Santos Dumont

Ademais, os novos companheiros da categoria petroleira também estão insatisfeitos com a precariedade dos serviços do hotel, que não tem efetivo o suficiente para atender a quantidade atual de hóspedes.

Segundo relatos, é comum a ausência de itens básicos no restaurante, como xícaras, talheres, copos, mas principalmente falta comida durante o café da manhã, levando ao menos a metade dos trabalhadores hospedados a recorrer a outro lugar para se alimentar antes dos cursos de formação.

Outro problema diz respeito aos três elevadores do hotel, que quase nunca estão funcionando a contento. Os petroleiros e demais hóspedes têm recorrido constantemente às escadarias e rotas de emergência, gerando tráfego numa área que deveria ser excepcional. Alguns desses são obrigados a subir mais de 10 andares a pé.

Durante a última semana, inclusive, um elevador chegou a ficar parado com hóspedes, com as portas fechadas, por aproximadamente 30 minutos, situação essa que levou uma pessoa a desfalecer enquanto aguardava a chegada dos técnicos de manutenção.

Um petroleiro relatou à reportagem que existem ao menos duas colegas petroleiras grávidas nesta turma convocada, e que situações como essa geram apreensão e risco para a integridade plena de ambas e dos seus bebês.

A arrumação dos quartos também fica devendo no Ibis Santos Dumont. Na maioria das vezes, ao final da tarde, o pessoal retorna dos cursos e precisa permanecer na recepção até que seus quartos sejam liberados.

Todos esses problemas já foram reportados ao RH da Petrobras, que até agora não tomou nenhuma providência. A companhia, a princípio, prometeu a hospedagem aos novos petroleiros no Ibis Santos Dumont por 30 dias. Ou seja, até meados de março.

Hoje mesmo (27/02), às 14 horas, a FNP se reuniu com o RH da Petrobras para tratar das comissões de acompanhamento do ACT e denunciou os problemas e cobrou urgência na resolução.

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) reitera seu compromisso com a categoria petroleira e exige que os entrantes do PSP 2021, hospedados no Hotel Ibis Santos Dumont, sejam transferidos imediatamente para outras instalações hoteleiras mais seguras e com capacidade de atendimento adequado na cidade do Rio de Janeiro.

 

ATUALIZAÇÃO, 16:37 

Após a cobrança da FNP em mesa, o RH da Petrobras concordou em mudar os novos trabalhadores de hotel o mais breve possível, e irá comunicar o local para onde eles serão realocados até amanhã (28/02).

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp